top of page
  • allanalmeida2

Bolsistas do PRH 48.1/UFPE/ANP/FINEP participaram do SINAFERM/ENZITEC 2022

Parabenizamos os bolsistas do PRH 48.1/UFPE/ANP/FINEP, Edilberto Mariano (graduação), Rafael Marques (graduação), Wagner Messias (graduação), Ithalo Abreu (mestrado) e Tássia Cristina (mestrado), que participaram XXIII Simpósio Nacional de Bioprocessos -- SINAFERM & XIV Seminário de Hidrólise Enzimática de Biomassas -- SHEB & XIV Seminário Brasileiro de Tecnologia Enzimática - ENZITEC, realizado em Búzios, Rio de Janeiro, entre os dias 28 a 31 de Agosto de 2022. A viagem foi custeada via taxa de bancada do PRH 48.1 (passagens aéreas, diárias e inscrição).



Edilberto foi orientado pelos docentes do PRH 48.1, Wanderli Leite e Lourdinha Florencio. O bolsista apresentou o trabalho “Codigestion of microalgae, vinasse and glycerine: performance and hydrolysis kinetics”.


Descrição do trabalho: O presente trabalho avalia a co-digestão anaeróbia de biomassa algal com vinhaça de cana-de-açúcar e glicerina residual de biodiesel, visando o ajuste da relação carbono-nitrogênio e aumento do rendimento de metano. Os resultados indicaram que a mistura da biomassa algal com os co-substratos resultou em efeitos sinérgicos, sendo previsto, através do planejamento de misturas centróide simplex, um aumento de até 49% no rendimento de metano, para mistura contendo 70% de biomassa algal e 30% de glicerina, em termos de sólidos voláteis.



Rafael Marques foi orientado pelos docentes do PRH 48.1, Bruna Soares Fernandes e Sávia Gavazza. O bolsista apresentou o trabalho “Phenanthrene quantification methodology in bioremediantion microcosms”.


Descrição do trabalho: O presente trabalho teve a proposição de adaptar uma metodologia para identificação e quantificação de fenantreno em amostras de microcosmos de sedimento de mangue. No qual a determinação do fenantreno foi realizada no cromatógrafo líquido Shimadzu Prominence, e em seguida foi feito a validação da metodologia atráves da avalição de paramêtros principais indicados pelo Inmetro, inicialmente foi constatado que o método usado na pesquisa é seletivo, como também apresentou os resultados dos paramêtros: limite de quantificação - 0,105 mg/L, limite de detecção - 0,034 mg/L, precisão - 4,47% e recuperação - 69%.



Wagner Messias foi orientado pelos docentes do PRH 48.1, Maria de Lourdes Florencio e Bruna Scandolara Magnus. O bolsista apresentou o trabalho “Study of recovery potencial of value-added by products in photobioreactors with algal-bacterial granular sludge”.


Descrição do trabalho: O presente trabalho teve como objetivo verificar o potencial de recuperação de sub-produtos de valor agregado em lodo granular aeróbico (LGA) e no consórcio lodo granular algal-bacteriano (LGAB) em reatores de batelada sequências, onde foi obtido os seguintes resultados: LGA:Alginato (ALE) - 704.9 ± 71.6 mg.VSALE/g.VSEPS, PHA - 11.95 ± 2.2 mgPHB/gTSS; LGAB: ALE - 686.3 ± 186.3 mg.VSALE/g.VSEPS, PHA - 6.53 ± 1.8 mgPHB/gTSS, Lipídeo (dia 21) - 452.23 mg/gTSS.



Ithalo Abreu foi orientado pelos docentes do PRH 48.1, Emmanuel Damilano Dutra e Rômulo Simões Cezar Menezes. O bolsista apresentou o trabalho "Bioethanol From Food Waste - A Comparative Study of an Acidic and an Enzymatic Pathways".


Descrição do trabalho: O trabalho almejou avaliar duas rotas de hidrólise de resíduos de alimentos - uma ácida e outra enzimática - para a obtenção de açúcares redutores para fermentação etanólica com Saccharomyces cerevisiae. Foi observada uma maior produção de carboidratos simples via rota ácida, a qual possui menor custo de insumos do que a enzimática. Além disso, a produção de bioetanol foi maior sem o prévio tratamento do resíduo.



Tássia é orientada pelos docentes do PRH 48.1, Rômulo Simões Cezar Menezes e Everardo de Sá Valadares Sampaio. A bolsista apresentou o trabalho intitulado: "Pre-treatment and hidrolysis of sisal solide residue biomass".


Descrição do trabalho: o presente trabalho avaliou a utilização de pré-tratamentos (NaOH, H2O2, H2SO4 e hidrotérmico) na extração de açúcares (glicose e xilose) e posteriormente, a resposta sob hidrolise ácida e enzimática. Após as hidrolises dos materiais pré-tratados e in-natura, foi possível observar que a melhor resposta foi na biomassa sem pré-tratamento (in-natura). Além disto, na biomassa residual verde de sisal, para obtenção de xilose, a hidrolise ácida apresenta a melhor resposta. Já para obter glicose a hidrolise enzimática, da biomassa in-natura, apresenta-se como melhor método de extração.


Para mais informações sigam nossas redes sociais (Linkedin, Instagram, twitter) e nosso website (https://www.prh48ufpe.com.br/), bem como o site dos gestores dos PRHs (FINEP e ANP).


2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page